60936

Três são presos em MT com carro de jovem após matá-la degolada em RO

Três rapazes foram presos na madrugada desta quarta-feira (18) em uma residência no bairro Tijucal, em Cuiabá, e confessaram a autoria do assassinato da jovem Kátia Maria Saldanha, de 26 anos, na segunda-feira (16), em Pimenta Bueno (RO). Eles roubaram o veículo da vítima, filha de um empresário daquela cidade, e seguiram com ela até determinado ponto de uma rodovia de acesso ao município de Colorado D'Oeste, em Rondônia, onde decidiram matá-la degolada após ela ter reconhecido um deles. O veículo da jovem, de cor vermelha, estava na garagem da casa onde os suspeitos foram detidos.

Após o latrocínio [roubo seguido de morte], eles seguiram em direção a Cuiabá com o carro da vítima. “Dois deles queriam retornar para Cuiabá após visitarem a família em Rondônia. Para isso, decidiram roubar o carro da vítima, na noite de segunda-feira (16), quando ela saía da igreja”, afirmou o delegado Flávio Stringuetta, da Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO), da Polícia Civil de Mato Grosso. Todos os suspeitos são naturais de Rondônia e dois deles estavam morando na capital mato-grossense.De acordo com o delegado, Rafael da Silva Costa, de 21 anos, foi o mentor do roubo e contou com a ajuda de Claudiney Alves de Freitas, de 31, que teria se mudado para Cuiabá recentemente à procura de emprego no setor de construção civil. Ele também teria ido a Rondônia e pretendia retornar com Rafael para Mato Grosso. Porém, nenhum deles tinha carteira de habilitação e pediram ajuda de Jânio Dias de Oliveira, de 32. O terceiro foi reconhecido pela vítima quando estava no carro. “Ele teve medo de deixá-la viva porque iria denunciá-lo à polícia, já que ele era conhecido da família dela. Não eram próximos, mas ela sabia quem era ele”, informou Stringuetta.

“Após ela ser reconhecida por Jânio, a morte dela foi traçada. A caminho de Cuiabá, eles discutiam se iriam matá-la ou não. O Jânio era categórico em afirmar que era para matá-la e o Claudiney disse que não iria participar da morte”, disse. Desse modo, Jânio na companhia do Rafael seguiram até um local onde mandaram que a vítima, que estava amordaçada, descesse do veículo e após ela andar alguns metros um deles, Rafael, segundo confissão do próprio autor, a degolou. “Ela caiu de frente para ele [Rafael] e depois ele deu uma facada entre os seios dela”, disse o delegado. O corpo da vítima foi localizado pela polícia de Rondônia às margens da rodovia nesta quarta-feira.

Após o desaparecimento de Kátia, a família dela registrou boletim de ocorrência e a polícia começou a investigar o caso. Como testemunhas teriam visto os criminosos abastecendo o veículo em um posto de combustível na saída que dá acesso a Mato Grosso, a polícia de Rondónia pediu apoio da polícia estadual. Câmeras da Polícia Rodoviária Federal (PRF) flagraram o veículo na BR-364. A partir disso, o GCCO deu início às investigações e localizou a residência da ex-mulher de Rafael, onde os três estavam escondidos.

Depoimentos
Rafael disse, em depoimento à Polícia Civil de Mato Grosso, que só soube o nome da vítima após ser preso e que não a conhecia. Confessou ter degolado a vítima em uma estrada, perto de um posto policial. Depois, ele disse ter colocado um casaco dele sobre o corpo da jovem, pois havia se sujado de sangue. Ele contou ter ido para Pimenta Bueno ver a sua mãe no dia 26 de novembro deste ano, junto com o cunhado Claudinei, porque teria se separado da mulher, que ficou em Cuiabá.

Eles foram em um carro dele, que teria sido deixado em Comodoro, a 677 km da capital, após apresentar defeito no motor. Com isso, seguiram de ônibus até Pimenta Bueno. No último domingo (15), decidiu roubar um carro para voltar a Cuiabá, até que na segunda-feira (16), andava à noite pela rua de uma igreja católica, onde a vítima estava, quando viu a jovem e a esperou sair da igreja. No momento em que entrou no carro, ele a abordou e mandou que passasse para o banco do passageiro, a ameaçou com uma faca e disse se tratar de um assalto.

Segundo ele, a vítima parecia estar tranquila e obedeceu a todas as ordens dele. Kátia teve as mãos amarradas com fita adesiva por Rafael. Antes de deixar Pimenta Bueno, ele passou pela casa de Jânio, que se sentou ao lado da vítima, no banco de trás do veículo. Depois, foram até a residência de Claudiney para pegá-lo.

Já o suspeito Jânio relatou à polícia ser bastante conhecido em Pimenta Bueno, cidade onde nasceu. Disse não ter participado do roubo do veículo, mas contou que sabia que o veículo havia sido roubado. Porém, ficou surpreso ao ver quem era a vitima que estava no carro, após acender a luz interna do veículo. Para conduzir o veículo, ele disse que receberia a quantia de R$ 5 mil dos outros dois suspeitos. Ele também disse que tentaram vender o veículo roubado, mas não conseguiram.

Claudiney também confessou participação no crime. Porém, ele alegou que não teria envolvimento direto com o roubo e com o assassinato da jovem. Ele teria ficado, conforme depoimento dos três, em um trevo da rodovia enquanto os outros dois levaram a vítima para determinado local onde a mataram.

Prisões
Os três encontram-se detidos na sede da Polinter, em Cuiabá, onde deverão permanecer até sexta-feira (20), quando devem ser transferidos para um presídio de Rondônia. Eles devem responder latrocínio e roubo com restrição de liberdade da vítima. Eles já tiveram a prisão decretada pela Justiça.

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no print
Compartilhar no email