42843

Sem energia, Câmara de Cuiabá suspende sessão pela segunda vez

Sem energia elétrica desde segunda-feira (2), a Câmara de Vereadores de Cuiabá suspendeu a sessão plenária prevista para ser realizada na manhã desta quinta-feira (5). Essa é a segunda sessão que deixou de acontecer nesta semana por conta dessa pane na rede elétrica, ocorrida em meio a uma briga política envolvendo parlamentares da oposição e da base aliada do prefeito.O presidente da Casa de Leis, vereador João Emanuel (PSD), disse que as duas sessões suspensas foram transferidas para a próxima semana. “Na semana que vem devemos realizar quatro sessões”, pontuou. Por causa do problema, os servidores da instituição foram dispensados do trabalho, permanecendo somente os técnicos que auxiliam os engenheiros e eletricistas no conserto da parte elétrica do Palácio Paschoal Moreira Cabral na tentativa de restabelecer o serviço.

Um laudo emitido por um engenheiro eletricista, de acordo com o presidente, aponta que as causas da falha na rede elétrica. “Esse laudo assegura a existência desses problemas que estamos dizendo”, disse João Emanuel, que na semana passada foi afastado do cargo de presidente pelo período de 15 dias após requerimento assinado pela maioria dos vereadores por suspeita de irregularidades na abertura de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), afim de investigar a contratação de uma empresa de aluguel de máquinas para a Prefeitura. Ele, no entanto, permaneceu na função por força de uma liminar concedida pela Justiça.

Conforme o secretário-geral da Câmara, Aparecido Alves, esse laudo técnico diz que as falhas ocorridas na parte elétrica é decorrente da falta de adequação do sistema às necessidades da Casa de Leis. “A parte elétrica está em curto. Essa situação se arrasta por vários anos. O prédio foi construído em 1972 e, com o passar do tempo, começou a ser ampliada com mais tomadas para computadores, mais iluminação e, quando chega nos meses mais quentes do ano no estado, é obrigado ligar todos os aparelhos de ar-condicionado. A solução é substituit toda a rede elétrica”, disse.

A intenção é construir um novo prédio no Centro Político Administrativo (CPA) para abrigar o Legislativo municipal. A área de 2 hectares, de acordo com Aparecido Alves, já foi solicitada ao governador do estado, Silval Barbosa.

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no print
Compartilhar no email