39238

Prefeitura anuncia criação de faixas exclusivas para ônibus em Cuiabá

Aumento no número de ônibus das principais linhas nos horários de pico, criação de faixas exclusivas para ônibus nas principais avenidas de Cuiabá e implantação de 800 novos abrigos nos pontos de ônibus. Estas são algumas medidas anunciadas pela Prefeitura de Cuiabá, por meio da Secretaria de Comunicação, referentes ao transporte coletivo na capital. O anúncio foi feito às vésperas da apreciação, por parte dos vereadores, dos vetos do prefeito Mauro Mendes a projetos de lei sobre o transporte público.

A Prefeitura informou que pretende adotar outras medidas de implantação imediata e outras a médio prazo para a “melhoria do sistema público de transporte de passageiros”. De acordo com nota da Prefeitura, as medidas foram tomadas em conjunto com a bancada na Câmara. Entre elas está também um decreto que garanta ao passageiro que não possui cartão de bilhetagem eletrônica o embarque nos ônibus.

Outras ações previstas são a ampliação dos pontos de venda e recarga do vale-transporte, a exigência de treinamento dos motoristas e aumento na fiscalização do contrato das concessionárias do transporte público.

Apesar das medidas anunciadas, a Prefeitura não informou quando cada uma das ações deve ser implementada, nem de quais fontes virão os recursos para as obras previstas, como da implantação dos 800 novos abrigos e das faixas exclusivas para ônibus.

Vetos
No início do mês, o prefeito Mauro Mendes vetou o projeto de lei 017/2013, aprovado na Câmara de Cuiabá após os históricos protestos de junho e que determinava o retorno – aos ônibus de transporte coletivo da capital – da figura do cobrador, profissional designado exclusivamente para a função de receber os pagamentos em dinheiro pela tarifa. O retorno desses trabalhadores foi objeto de reivindicação sob argumento de que os motoristas atualmente estariam sendo submetidos a acúmulo de funções. A justificativa do prefeito é de que a medida implicaria na contratação de cobradores em igual número ao de motoristas, o que impactaria nos custos das empresas e, consequentemente, no aumento da tarifa.

Ao todo, cinco projetos foram enviados após aprovação por parte dos vereadores da capital, que se viram constrangidos a votá-los por força da presença de manifestantes durante a sessão sete dias após o maior dos protestos já realizados na história da cidade.

Já o aumento do tempo de integração do transporte coletivo da capital foi aprovado pelo Executivo. O projeto sancionado pelo prefeito estabelece que, após o primeiro registro na catraca eletrônica, o usuário terá duas horas e meia para tomar outro ônibus.

Por sua vez, a proposta sobre a ampliação do uso do passe estudantil, alvo de polêmica e de protestos de estudantes, foi vetada pelo prefeito. O projeto aprovado pela Câmara de Vereadores previa usar o passe-livre estudantil em qualquer horário. Outra ampliação vetada foi para que o passe-livre valesse também para alunos de pós-graduação da rede pública e privada de ensino do município.

Os vereadores de Cuiabá ainda podem derrubar os vetos do prefeito durante sessão na Câmara Municipal.

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no print
Compartilhar no email