57745

PF investiga suspeita de envolvimento de magistrado em crimes em MT

A Polícia Federal cumpre nesta segunda-feira (25) sete mandados de busca e apreensão em Cuiabá em uma investigação relacionada a crimes contra a administração pública e lavagem de dinheiro. Os mandados foram expedidos pelo Tribunal Regional Federal  da 1ª Região no curso do inquérito judicial decorrente da Operação Ararath, deflagrada no dia 12 de novembro. Segundo a assessoria da PF, a investigação tramita no Tribunal federal devido ao possível envolvimento de magistrado no esquema. No entanto, o nome do magistrado não foi divulgado e o processo segue em segredo de Justiça.

Na primeira fase da Operação Ararath, a Polícia Federal cumpriu 11 mandados de busca e apreensão em Cuiabá, Várzea Grande e Nova Mutum durante a investigação de um esquema de crimes financeiros e lavagem de dinheiro por meio de factorings de fachada. Durante a operação foram apreendidos R$ 325 mil em duas casas de suspeitos.

Segundo a PF, o esquema começou a ser investigado em 2011 e durante os trabalhos foi identificado que o grupo usava as factorings como fachada para a concessão de empréstimos a pessoas físicas e jurídicas do estado, por meio de uma empresa com sede em Várzea Grande, que encerrou as atividades no ano passado.

Porém, as empresas não tinham autorização do Banco Central para a concessão de empréstimos, bem como para exigir garantias e exercer qualquer atividade de institutição financeira. O dinheiro era movimentado nas contas das factorings e de outras empresas dos integrantes do esquema, entre elas de uma rede de postos de combustíveis de Cuiabá. Em seis anos, foram movimentados mais de R$ 500 milhões, conforme a polícia.

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no print
Compartilhar no email