60230

Oito autoescolas de MT são suspeitas de esquema de venda de CNHs

Oito autoescolas de Mato Grosso estão sendo investigadas por suspeita de participação em um esquema de fraudes na emissão de carteiras de habilitação. A irregularidade foi alvo da Operação Fraus, deflagrada pela Polícia Civil do estado, no dia 27 do mês passado, também em Goiás e Tocantins. Após a operação, 17 autoescolas de Goiás tiveram as atividades suspensas, além de quatro mil processos para a obtenção de CNHs.

Em Mato Grosso, as autoescolas suspeitas de envolvimento no esquema criminoso continuam atuando normalmente, de acordo com a assessoria do Departamento Estadual de Trânsito (Detran-MT).

A princípio, eram 135 pessoas investigadas e agora esse número subiu para 175, pois, durante as investigações, a polícia identificou o envolvimento de outras 40 pessoas, supostamente beneficiadas com a fraude. “À medida que a investigação se avança se elucida mais e mais situações e supostos envolvidos e beneficiários do esquema criminoso”, pontuou o delegado Joaquim Leitão, que conduz a investigação.

A investigação apontou que carteiras de habilitação estavam sendo emitidas sem que fossem realizadas as provas teóricas ou práticas, exigidas na legislação de trânsito, em Mato Grosso e nos estados citados. 

A maioria dos beneficiados pelo esquema era analfabeto, semianalfabeto ou idosos. A maior parte morava em Goiás. Contudo, a investigação e a operação foram deflagradas em Mato Grosso, pois os moradores do estado vizinho se deslocavam para fazer a prova em Barra do Garças, a 516 km de Cuiabá, onde foi deflagrada a operação, para fazer a prova e obter a habilitação, mesmo sem saber dirigir ou pilotar motocicleta corretamente. 

Na operação, quatro servidores do Detran de Mato Grosso foram detidos suspeitos de colaborar com o esquema criminoso. Por conta das investigações, o então presidente do órgão, Gian Castrillon, foi exonerado do cargo pelo governador Silval Barbosa dois dias após a operação. O ex-presidente negou qualquer irregularidade e disse ser favorável à realização de uma auditoria no Detran.

Operação 'Fraus'
Dos 39 municípios onde foram cumpridos os mandados de prisão e de busca e apreensão, oito são de Mato Grosso. As investigações começaram em setembro de 2010 em Barra do Garças. A fraude foi descoberta depois de uma denúncia encaminhada ao Ministério Público do município da região Araguaia onde uma pessoa informava que uma autoescola do município oferecia facilidades para retirar e até revalidar a CNH.

Os candidatos eram aprovados sem fazer provas práticas, teóricas ou de direção, e ainda conseguiam aprovação nos exames feitos por pessoas que se passavam por eles nas provas. As pessoas que compravam esse tipo de serviço pagavam valores entre R$ 600 até R$ 5 mil. Os alvos da operação foram proprietários de autoescolas, fiscais do Departamento de Trânsito (Detran), instrutores e pessoas responsáveis por autoescolas de Barra do Garças.

As pessoas que forem presas podem responder pelos crimes de corrupção passiva e ativa, formação de quadrilha, alteração indevida de sistema de dados e falsidade ideológica. O nome da operação vem do latim e significa ‘uma mentira contada com boa intenção’.

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no print
Compartilhar no email