28571

Indiana de 5 anos está em estado grave após estupro

Uma menina indiana de cinco anos lutava por sua vida nesta sexta-feira (19) depois de ter sido sequestrada e brutalmente estuprada, no mais recente incidente de violência sexual que desencadeou protestos em todo o país.

A menina foi atacada dentro de um quarto trancado por 48 horas, segundo a polícia, depois de ter sido sequestrada enquanto brincava do lado de fora de sua casa na segunda-feira, em uma região de classe média-baixa da capital Nova Délhi.

'Nós inicialmente registramos um caso de sequestro. Agora já lançamos uma investigação preliminar de estupro e tentativa de homicídio', afirmou Rajan Bhagat à France Presse, acrescentando que era feita uma operação de busca para deter um vizinho da família, que é o principal acusado dos crimes.

A criança foi internada na unidade de terapia intensiva de um hospital da cidade na quarta-feira e os médicos afirmaram que seu estado era 'crítico', enquanto redes de televisão locais acompanhavam a cobertura passo a passo.

'A menina estava traumatizada quando foi trazida para nós. Havia ferimentos em seus lábios, bochechas e no tronco. Havia hematomas em seu pescoço', explicou R.N. Bansal, superintendente médico de um hospital do governo local, ao canal de notícias NDTV.

As lesões no pescoço sugeriam que o atacante pode ter tentado estrangulá-la, deixando-a sozinha no quarto para morrer, disse. Os médicos disseram que a região genital da menina havia sido mutilada e que objetos foram inseridos no local, causando ferimentos internos graves e infecções.

'Nós estamos mantendo-a sob observação constante. As próximas horas serão críticas', disse Bansal.

A menina foi encontrada depois que um pessoa que passava por perto a ouviu chorando e alertou a polícia.

O incidente ocorre poucos meses após a Índia ter sido abalada pelo terrível estupro coletivo de uma estudante em Nova Délhi em um ônibus, no fim do ano passado, que desencadeou protestos em todo o país, além de debates sobre a situação das mulheres e das meninas e sua segurança.

A mulher não resistiu aos ferimentos sofridos 13 dias após o ataque, no qual os criminosos utilizaram uma barra de ferro para agredi-la sexualmente, provocando ferimentos em seus órgãos internos.

Os pais da menina de cinco anos, que mais tarde foi transferida para um hospital de renome do governo na cidade, acusaram a polícia de se portar de forma insensível durante a investigação.

'Eles estavam relutantes em registrar nossa queixa (de que ela estava desaparecida) quando os procuramos pela primeira vez. E depois a polícia nos disse para ficarmos contentes com o fato de que ela foi ao menos encontrada viva', disse o pai da menina.

Dezenas de manifestantes se reuniram nesta sexta-feira em frente ao hospital onde a criança foi internada e gritaram insultos contra a polícia por não investigar seu desaparecimento de forma adequada.

Ativistas dos direitos das mulheres condenaram o ataque, dizendo que os ferimentos que a menina sofreu foram chocantes.

'Este incidente mostra que tipo de pessoas brutas temos na sociedade. A sociedade também é responsável por isso. Está cheia de pervertidos', disse Ranjana Kumari, do Centro de Pesquisa Social, sediado em Délhi.

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no print
Compartilhar no email