58609

Gasto com pedágio para escoar produção será de R$ 4 por tonelada

Para escoar a produção agrícola de Mato Grosso pela BR-163 serão gastos R$ 4,49 por tonelada, considerando os pedágios que serão implantados na rodovia nos próximos anos. O valor, que é referente ao trecho de 850,9 quilômetros entre a divisa com Mato Grosso do Sulaté a cidade de Sinop(MT), foi divulgado pela Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja) . A reforma e duplicação da rodovia foi arrematado pela Odebrecht S/A no leilão realizado nesta quarta-feira (27) na BM&FBOVESPA em São Paulo. Na rodovia, que receberá obras de duplicação e melhoria, serão instalados pedágios a cada 100 km ao custo individual de R$ 2,63.

De acordo com as contas do Movimento Pró-Logística, a tarifa total será de R$ 22,45 por eixo para percorrer todo o trecho. Para cada caminhão (que tenha entre sete e nove eixos) o desembolso é de R$ 179,57 para o trecho completo. Segundo o presidente da Aprosoja, Cárlos Fávaro, o pedágio é uma forma de assegurar o escoamento da produção, cobrando a manutenção constante da rodovia. “Do contrário continuaremos com problemas nas estrada, causando prejuízos irreversíveis para o produtor mato-grossense”.

Dos 850,9 quilômetros, o Departamento Nacional de Infraestrutura e Transporte (Dnit) é responsável pela duplicação de 281,8 quilômetros. A Odebrecht, responsável pela duplicação de 453,6 quilômetros, pode iniciar a cobrança de pedágio a partir da conclusão de, ao menos, 10% da duplicação (43,4 km) sob sua responsabilidade, o que está previsto para o 18º mês de concessão. O prazo para a conclusão de toda a duplicação é de cinco anos.

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no print
Compartilhar no email